Ultrapassei o limite do MEI, e agora: Encerrar, Mudar ou Desenquadrar?

Sumário

O Microempreendedor Individual (MEI) tem sido uma porta de entrada acessível e simplificada para milhares de empreendedores no Brasil.

Com seu baixo custo operacional e uma estrutura descomplicada, o MEI proporciona uma oportunidade valiosa para indivíduos que desejam iniciar seus próprios negócios e se aventurar no mundo do empreendedorismo.

No entanto, como qualquer empreendimento, o MEI tem suas limitações, principalmente em relação ao faturamento anual.

Este artigo explora uma situação que muitos empreendedores do MEI eventualmente enfrentam: ultrapassar o limite de faturamento.

Quando esse cenário se desenha, surgem questionamentos cruciais, como se vale a pena encerrar o MEI e abrir uma microempresa (ME) ou se desenquadrar do MEI.

Além disso, discutiremos em detalhes o limite de faturamento do MEI, os critérios que podem levar ao desenquadramento e como é possível verificar se você ultrapassou esse limite.

Portanto, continue a leitura para entender as implicações desse cenário e as opções disponíveis para continuar sua jornada empresarial de forma legal e eficaz.

Este guia abordará cada etapa do processo e fornecerá informações valiosas para ajudá-lo a tomar a melhor decisão ao enfrentar o desafio de ultrapassar o limite do MEI.

O Limite do MEI:

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria empresarial destinada a facilitar a vida dos empreendedores, especialmente aqueles que estão dando os primeiros passos no mundo dos negócios. Um dos aspectos fundamentais a serem compreendidos por quem opta por se registrar como MEI é o limite de faturamento, pois ultrapassá-lo pode acarretar em mudanças significativas na estrutura de sua empresa.

Em 2023, o limite anual de faturamento para o MEI é de R$ 81 mil. Esse valor serve como uma referência para determinar a elegibilidade do empreendedor a essa categoria.

No entanto, um ponto importante a ser considerado é que esse limite é proporcional ao tempo de funcionamento da sua empresa durante o ano de abertura.

Em outras palavras, se você abriu seu MEI no meio do ano, o limite de faturamento não será de R$ 81 mil. Em vez disso, ele será calculado com base nos meses que a sua empresa esteve ativa no ano em questão. Por exemplo, se você registrou seu MEI em julho, seu limite anual de faturamento será proporcional a apenas seis meses.

Essa abordagem proporcional visa ser justa e evitar que os empreendedores sejam penalizados por um limite anual fixo, independentemente do momento em que começaram a operar.

Isso permite que novos negócios cresçam gradualmente sem a pressão de atingir imediatamente o limite máximo.

Portanto, ao entender o limite do MEI e como ele é calculado com base no tempo de funcionamento, você estará melhor preparado para gerenciar suas finanças e planejar o crescimento de seu empreendimento dentro dos parâmetros legais estabelecidos para essa categoria.

Lembre-se de que, ao ultrapassar o limite, é importante considerar as opções disponíveis, como o desenquadramento ou a mudança para uma microempresa (ME), a fim de manter seu negócio em conformidade com a legislação vigente.

Quando o MEI é Desenquadrado por Faturamento:

O desenquadramento do Microempreendedor Individual (MEI) é um processo que ocorre quando o empreendedor ultrapassa os limites estabelecidos para essa categoria empresarial. Entre esses limites, o de faturamento é um dos mais críticos a serem observados. Quando o MEI é desenquadrado por faturamento, significa que o empreendedor atingiu um nível de receita que excede o limite anual permitido.

Aqui estão os principais cenários que levam ao desenquadramento do MEI:

1-Necessidade de contratação de mais de um funcionário:

De acordo com as regras do MEI, o empresário pode ter apenas um funcionário, cujo salário deve ser igual ou superior ao salário mínimo ou piso salarial da categoria. Se a empresa cresce e a demanda por mão de obra aumenta, a contratação de mais de um funcionário se torna necessária. Nesse caso, o MEI deve desenquadrar-se e buscar outra categoria empresarial que permita a contratação de mais funcionários, como a microempresa (ME).

2-Adição de uma atividade não permitida:

O MEI está restrito a uma lista específica de atividades econômicas. Se o empreendedor decidir iniciar uma atividade que não está dentro dessa lista, ele não poderá mais se enquadrar como MEI. A solução nesse caso pode ser o desenquadramento ou a busca de uma alternativa, como abrir uma microempresa (ME) para acomodar a nova atividade.

3-Excesso de faturamento:

O limite anual de faturamento do MEI, em 2023, é de R$ 81 mil. Esse valor é proporcional ao tempo de funcionamento da empresa durante o ano de abertura. Se o faturamento anual exceder esse limite, será necessário realizar o desenquadramento do MEI. O excedente de faturamento deve ser calculado e tributado de acordo com as regras fiscais.

O desenquadramento é um processo importante para manter a conformidade com as regulamentações fiscais e empresariais.

É fundamental que o empreendedor compreenda esses critérios e esteja preparado para tomar medidas apropriadas quando necessário.

Ao enfrentar um desses cenários que levam ao desenquadramento, o empresário deve consultar um contador especializado para orientação e para garantir que todas as obrigações legais sejam atendidas durante a transição para uma nova categoria empresarial.

Como Saber se Ultrapassou o Limite do MEI:

É fundamental que os empreendedores do Microempreendedor Individual (MEI) monitorem regularmente seu faturamento para garantir que esteja dentro dos limites estabelecidos. Para determinar se você ultrapassou o limite do MEI, siga os seguintes passos:

1-Verifique a soma das notas fiscais emitidas durante o período:

A emissão de notas fiscais é uma parte essencial do registro de suas vendas e serviços. Registre todas as notas fiscais emitidas ao longo do ano e some seus valores. Isso fornecerá uma visão clara do faturamento acumulado.

2-Confira o total de recebimentos na conta bancária da pessoa jurídica:

Muitas transações comerciais são realizadas por meio de depósitos ou transferências bancárias. Verifique o extrato da conta bancária vinculada à sua pessoa jurídica para obter um registro completo dos valores recebidos.

3-Some o valor dos recebimentos realizados por meio de maquininhas de cartões registradas em nome da empresa:

As maquininhas de cartões são uma forma comum de receber pagamentos. Certifique-se de que todas as transações por meio de maquininhas registradas em nome da sua empresa sejam contabilizadas.

Depois de realizar esses passos, some os valores obtidos de cada fonte de receita. Se o resultado exceder o limite de faturamento do MEI (R$ 81 mil em 2023, proporcional ao tempo de funcionamento no primeiro ano), é um sinal claro de que você ultrapassou o limite do MEI.

É importante lembrar que o controle financeiro preciso e o registro adequado de todas as transações comerciais são fundamentais para garantir a conformidade e evitar problemas fiscais. Caso você perceba que ultrapassou o limite, é crucial tomar as medidas apropriadas, como o desenquadramento do MEI ou a mudança para uma microempresa (ME), a fim de continuar operando de acordo com a legislação vigente.

Além disso, contar com a assessoria de um contador especializado pode ser extremamente útil nesse processo, pois eles podem fornecer orientação específica e garantir que todos os aspectos fiscais sejam tratados corretamente durante a transição para uma nova categoria empresarial.

Ultrapassei o Limite do MEI e Agora:

Quando um Microempreendedor Individual (MEI) ultrapassa o limite de faturamento estabelecido, é fundamental compreender as implicações e as medidas a serem tomadas.

As ações a serem tomadas variam dependendo do grau de ultrapassagem do limite. Vejamos as consequências e as etapas a serem seguidas em ambos os casos:

Ultrapassagem de até 20% (até R$ 97.200,00 de faturamento):

Se o seu faturamento anual exceder o limite do MEI, mas não ultrapassar 20% acima do limite (até R$ 97.200,00), as seguintes consequências se aplicam:

  1. Permanência no MEI até o final do ano: Você pode continuar como MEI pelo restante do ano fiscal.
  2. Pagamento de guia complementar em janeiro: Em janeiro do ano seguinte, será necessário pagar uma guia DAS complementar, que corresponde ao excesso de faturamento que ocorreu no ano anterior.
  3. Migração para uma microempresa (ME): Após pagar os impostos sobre o excesso de limite, você deverá migrar para uma microempresa (ME) a partir do próximo ano fiscal. Essa transição é necessária para se adequar ao novo cenário de faturamento.

Ultrapassagem de mais de 20% (acima de R$ 97.200,00 de faturamento):

Se você ultrapassar o limite do MEI em mais de 20%, ou seja, faturar um valor acima de R$ 97.200,00, as consequências são diferentes:

  1. Desenquadramento imediato do MEI: O desenquadramento do MEI deve ser realizado imediatamente após a constatação de que o faturamento excedeu o limite.
  2. Pagamento de impostos retroativos: Em vez de pagar uma guia DAS complementar, será necessário pagar impostos retroativamente a partir de janeiro do ano em questão. Isso significa que você terá que quitar os tributos de todo o ano fiscal a partir do mês de janeiro, considerando as alíquotas e obrigações fiscais aplicáveis à nova categoria empresarial.

É importante entender que o desenquadramento do MEI, seja ele imediato ou após pagamento dos impostos retroativos, é uma ação necessária para se manter em conformidade com a legislação e evitar problemas com o fisco.

Durante esse processo, contar com o suporte de um contador especializado é altamente recomendado, pois eles podem orientar você nas obrigações fiscais específicas e garantir que todas as etapas sejam realizadas corretamente.

Portanto, ao ultrapassar o limite do MEI, esteja preparado para tomar as medidas apropriadas e garantir que sua transição para outra categoria empresarial seja realizada de acordo com a legislação vigente.

Como Fazer o Desenquadramento do MEI:

O desenquadramento do Microempreendedor Individual (MEI) é um procedimento importante que ocorre quando o empreendedor ultrapassa os limites de faturamento ou quando precisa realizar outras mudanças em sua estrutura empresarial. Aqui estão os passos a serem seguidos ao fazer o desenquadramento do MEI:

Consulte um contador especializado:

  1. Antes de iniciar o processo de desenquadramento, é aconselhável buscar orientação profissional. Um contador pode fornecer informações específicas sobre sua situação e garantir que todas as obrigações fiscais sejam cumpridas corretamente durante a transição para uma nova categoria empresarial. Conte com a Bragamar Contábil nessa nova jornada
  2. Acesse o Portal do Empreendedor: O processo de desenquadramento do MEI pode ser feito diretamente no Portal do Empreendedor (www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor). No portal, vá para a seção “Serviços” e selecione a opção “Baixa” para dar início ao processo.
  3. Informe os dados necessários: No formulário de desenquadramento, você deverá fornecer informações relevantes, como os motivos do desenquadramento, a data de início da atividade como MEI e outros detalhes requeridos.
  4. Emita a guia DAS complementar (se aplicável): Se você ultrapassou o limite de faturamento, o sistema calculará automaticamente o valor devido para a guia DAS complementar correspondente ao excesso de faturamento. Esse valor deve ser pago para regularizar sua situação fiscal.
  5. Aguarde a confirmação do desenquadramento: Após submeter o pedido de desenquadramento, aguarde a análise e a confirmação do órgão responsável. O processo pode levar alguns dias, e você receberá um comprovante de desenquadramento assim que for aprovado.
  6. Migre para a nova categoria empresarial: Depois de receber a confirmação do desenquadramento, você deve tomar as medidas necessárias para migrar para a nova categoria empresarial, como microempresa (ME) ou outra adequada à sua atividade. Isso pode envolver a alteração do regime tributário, a obtenção de um CNPJ atualizado e a revisão das obrigações fiscais.
  7. Atualize a contabilidade: Certifique-se de atualizar sua contabilidade de acordo com a nova categoria empresarial. Se você estava mantendo registros contábeis como MEI, pode ser necessário implementar um novo sistema contábil ou adaptar o atual às obrigações da nova categoria.
  8. Cumpra as obrigações fiscais: Após a migração para a nova categoria empresarial, siga as obrigações fiscais, tais como pagamento de impostos, declarações fiscais e cumprimento das responsabilidades contábeis. Novamente, contar com o suporte de um contador é valioso para garantir que tudo seja feito corretamente.

O desenquadramento do MEI é uma etapa importante e envolve várias responsabilidades fiscais e burocráticas.

É crucial que você esteja bem informado e tenha o apoio de um contador para garantir uma transição suave e estar em conformidade com a legislação vigente.

Portanto, ao considerar o desenquadramento do MEI, planeje com antecedência e execute os procedimentos de forma adequada para evitar problemas futuros.

A Importância da Contabilidade Antes e Após o Desenquadramento do MEI:

A contabilidade desempenha um papel crucial na jornada de qualquer empreendedor, especialmente para aqueles que estão registrados como Microempreendedor Individual (MEI).

Antes e após o desenquadramento do MEI, a importância da contabilidade é inegável. Vamos explorar como a contabilidade é fundamental em ambas as fases:

Antes do Desenquadramento do MEI:

  1. Monitoramento do Faturamento: A contabilidade desempenha um papel essencial no monitoramento do faturamento. Antes do desenquadramento, é importante para o MEI acompanhar o crescimento do negócio e garantir que o faturamento não ultrapasse os limites estabelecidos para a categoria. Um contador pode ajudar a manter um controle rigoroso das finanças.
  2. Planejamento Tributário: A contabilidade permite que o MEI realize um planejamento tributário eficiente. Isso significa identificar estratégias legais para minimizar a carga tributária e economizar em impostos. Um contador pode sugerir estratégias para otimizar a estrutura tributária do negócio.
  3. Conformidade Fiscal: Antes do desenquadramento, a contabilidade ajuda a garantir a conformidade com as obrigações fiscais. Um contador pode ajudar a preparar e enviar as declarações necessárias, como o DASN-SIMEI, e garantir que todos os impostos sejam pagos corretamente e dentro do prazo.

Após o Desenquadramento do MEI:

  1. Escolha da Nova Categoria Empresarial: Após o desenquadramento, um dos passos mais importantes é escolher a nova categoria empresarial adequada, como microempresa (ME). Um contador pode orientar na escolha da categoria que melhor atenda às necessidades e atividades do negócio.
  2. Registro e Regularização: A transição para uma nova categoria empresarial pode envolver a obtenção de um novo CNPJ, a atualização do contrato social, a escolha do regime tributário apropriado, entre outras etapas. A contabilidade desempenha um papel vital nessa regularização.
  3. Revisão de Obrigações Fiscais: A contabilidade é essencial para revisar e ajustar as obrigações fiscais de acordo com a nova categoria empresarial. Isso inclui a elaboração de novas guias de pagamento de impostos, como o Simples Nacional, e a entrega de declarações fiscais relevantes.
  4. Registro Contábil Atualizado: A transição para uma nova categoria empresarial exige que a contabilidade seja atualizada para atender às novas obrigações contábeis. Isso pode envolver a implementação de um novo sistema contábil e a adaptação dos registros financeiros.
  5. Planejamento Contínuo: Mesmo após o desenquadramento, a contabilidade continua desempenhando um papel importante no planejamento financeiro do negócio. Um contador pode ajudar a planejar o crescimento, a gestão de custos e a manutenção da conformidade fiscal.

A importância da contabilidade antes e após o desenquadramento do MEI não pode ser subestimada.

Contar com um contador especializado proporciona a orientação necessária para tomar decisões informadas e garantir que a empresa cumpra todas as obrigações fiscais e contábeis de forma eficiente.

Portanto, tanto antes quanto após o desenquadramento, a parceria com um contador é um investimento valioso para o sucesso empresarial.

Conclusão

Ao enfrentar a situação de ultrapassar o limite do Microempreendedor Individual (MEI), é fundamental compreender as implicações e as opções disponíveis para garantir a continuidade de sua jornada empresarial de forma legal e eficaz.

Este artigo explorou os principais aspectos relacionados a essa situação, fornecendo informações importantes para orientar os empreendedores na tomada de decisões bem fundamentadas.

Aqui estão algumas conclusões-chave:

  1. Limite do MEI: O limite anual de faturamento do MEI, em 2023, é de R$ 81 mil, sendo proporcional ao tempo de funcionamento da empresa no ano de abertura.
  2. Desenquadramento por Faturamento: O desenquadramento do MEI pode ocorrer quando o faturamento anual ultrapassa o limite, quando são necessárias contratações adicionais ou quando uma atividade não permitida é adicionada.
  3. Como Saber se Ultrapassou o Limite: Monitorar o faturamento, a emissão de notas fiscais e os recebimentos em conta bancária e maquininhas de cartões é fundamental para determinar se o limite do MEI foi ultrapassado.
  4. Consequências do Desenquadramento: As consequências do desenquadramento variam com base na proporção do excesso de faturamento. Se ultrapassado em até 20%, é necessário pagar uma guia complementar e migrar para uma nova categoria empresarial. Se excedido em mais de 20%, o desenquadramento é imediato e envolve o pagamento retroativo de impostos.
  5. A Importância da Contabilidade: A contabilidade desempenha um papel crítico tanto antes quanto após o desenquadramento do MEI. Antes do desenquadramento, a contabilidade auxilia no controle financeiro, no planejamento tributário e na conformidade fiscal. Após o desenquadramento, ajuda na escolha da nova categoria empresarial, na regularização, na revisão de obrigações fiscais, no registro contábil atualizado e no planejamento contínuo.

Em resumo, o desenquadramento do MEI não é o fim da jornada empresarial, mas sim uma transição necessária para acomodar o crescimento do negócio.

Ao entender as implicações, seguir os procedimentos corretos e contar com o apoio de um contador, os empreendedores podem enfrentar essa transição com sucesso e continuar a crescer de acordo com a legislação vigente.

Este artigo serve como um guia informativo para auxiliar empreendedores nessa jornada e tomar decisões bem informadas para o sucesso de seus negócios.

Não espere mais e fale conosco https://bragamar.com.br/contato/

Compartilhe

Mais postagens

Ficou com alguma dúvida?

Preencha as informações abaixo que em breve entraremos em contato com você.